Webinar debate o impacto social da energia fotovoltaica para o Norte de Minas; Unimontes é apoiadora


Com estrutura de 10 mil usinas, estudo da ABGD e Amams para pequenos produtores do Norte de Minas projeta geração de 1GW

 

Para que pequenos produtores rurais passem a ter na locação de painéis fotovoltaicos uma fonte de renda em suas propriedades, abre-se a possibilidade da instalação de 10 mil usinas de microgeração no Norte de Minas. Isso porque a região possui um potencial de produção de 1 Gigawatts em energia solar só no segmento de Geração Distribuída (subgrupo de microgeração). Para se ter uma ideia do que isto representa, é justamente a potência total instalada atualmente em Minas Gerais, mas em um número bem maior de usinas (89,2 mil), conforme dados recentes do Governo do Estado. E ainda: um projeto nestes moldes poderá gerar 25 mil empregos diretos no sertão mineiro.

 

E será justamente a possibilidade de investimentos no setor e os seus efeitos socioeconômicos na região os temas para debate durante o I Webinar do Grupo de Energia Fotovoltaica do Norte de Minas. A Universidade Estadual de Montes Claros é uma das apoiadoras do evento, que acontece nestas quarta e quinta-feira (26 e 27/5), com programação virtual totalmente gratuita. A transmissão será pela plataforma Zoom e as inscrições podem ser feitas pelo link: https://www.2kp.com.br/adenor.

Professor do Departamento de Economia da Unimontes, Marcos Fábio Martins de Oliveira será um dos palestrantes convidados, com a abordagem: “A Energia Solar – Geração distribuída como fator de desenvolvimento econômico e inserção social”. O evento é organizado conjuntamente pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede), Instituto de Desenvolvimento do Norte e Noroeste de Minas (Idene), Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), Agência de Desenvolvimento Sustentável do Norte de Minas (Adenor), Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI), Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams) e Sebrae.

 

ESTUDO

 

Este potencial regional descrito acima que pode dobrar o volume do Estado na geração de energia sustentável faz parte do estudo de viabilidade desenvolvido pela ABGD e Amams. De acordo com o diretor regional da ABGD em Minas Gerais, Walter Abreu, a proposta sugere que a energia fotovoltaica produzida pelas usinas de microgeração para produtores rurais corresponda a 5% do total hoje gerado pela concessionária.

 

“A energia hoje é um produto, que não tem sazonalidade. Além do potencial em dobrar em mais 1 GW o volume atual que o Estado gera de energia solar, você passará a ter um produto de demanda permanente, cujo excedente pode ser comercializado com as próprias concessionárias”, explica Walter. Outro atrativo, explica o diretor da ABGD, está na possibilidade de redução dos custos da energia adquirida pela concessionária: “ao invés de investir em geração, transmissão e distribuição da energia produzida em outros centros como Furnas, Itaipu e Três Marias, a Cemig Holding passaria a distribuir o volume gerado na própria região”.

 

POTENCIAL MINEIRO

 

Segundo Marcos Fábio Martins, entre os objetivos do Webinar está “discutir a cadeia produtiva da energia solar e integrar empresas e instituições que se interessam pelo segmento da geração de energia fotovoltaica”. Dados atuais da SEDE, divulgados na quinta-feira (20/5), revelam que Minas Gerais segue líder no segmento de energia fotovoltaica no Brasil, responsável por 18% de todo o potencial instalado no País. São mais de 1 GW de potência instalada para energia solar em 844 cidades abastecidas com a geração própria.

 

Já de acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a energia renovável em Minas Gerais é fornecida por 84.248 usinas de microgeração (até 75 KVA) e minigeração (de 75 KVA até 5 megawatts), beneficiando 120.929 consumidores.

 

Outra meta traçada para o evento é “fortalecer a atividade e propiciando o seu desenvolvimento e consolidação”, justamente o que propôs o mestrado em Desenvolvimento Econômico e Estratégia Empresarial (PGDEE), da Unimontes, ao realizar em 2019 o primeiro Seminário de Energia “Investimento, Planejamento e Regulação”, com apoio da ABGD, Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e Empresa de Pesquisa Energética (EPE), do Ministério das Minas e Energia – entre outros.

Previous Geografia da Saúde da Unimontes divulga estudo sobre um ano de pandemia e Norte tem 4,5% dos óbitos por Covid-19 em MG
Next Centro Mais Vida do HUCF capacita equipes de Montes Claros e de 86 municípios

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.