Unimontes colabora na doação de 200 cestas básicas para Januária-MG


A Unimontes ampliou, nesta quinta-feira, as suas ações em prol das famílias em vulnerabilidade social, por meio do programa Unimontes Solidária. A Instituição, que integra a Rede de Solidariedade, entregou 130 cestas básicas em Januária-MG, ação gerenciada pelo projeto social Reciclagem Amor e Vida, com sede em Montes Claros. É a segunda remessa de mantimentos enviada, neste mês, para o município, já que no início do mês foram destinadas mais 70 cestas básicas. Os donativos foram entregues no Fórum da Comarca de Januária, que desenvolve a campanha “Sou Solidário”.

 

 

O presidente do projeto social Reciclagem Amor e Vida, pastor Josmar Xavier explica que a associação recebeu 700 máscaras produzidas pelos reeducandos da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) de Januária. O juiz de direito e diretor do Foro da Comarca de Januária, Daniel Henrique Souto Costa, explica que houve um crescimento do número de famílias cadastradas para receber doações. Da mesma forma, houveram limitações em conseguir os alimentos para contribuir com essas famílias. “Foi quando surgiu a ideia de ampliarmos a campanha em Montes Claros para ajudar essas famílias em Januária. A Unimontes se dispôs a ampliar a parceria, tanto na montagem das cestas, como no transporte”, explicou o juiz Daniel Henrique.

 

Durante encontro com o reitor da Unimontes, professor Antonio Alvimar Souza, o juiz Daniel Henrique destacou a importância da parceria com a Unimontes e o projeto social Amor e Vida para amenizar a dificuldades provenientes do agravamento da questão social com a pandemia provocada pela Covid-19. Graduado pela Unimontes, o magistrado observou que apenas com a união de esforços será possível atenuar a preocupação das famílias que enfrentam limitações financeiras severas em um período de instabilidade econômica.

 

O reitor Antonio Alvimar Souza, que participou da entrega das cestas, explicou que “a universidade não pode estar alheia aos acontecimentos da sociedade, e precisa interagir para ajudar na solução dos problemas. Ao lembrar da atuação institucional naquele município, a partir do Campus Januária, o reitor observou que, nos momentos de instabilidades, a união das instituições se torna primordial para apresentar soluções para os problemas da sociedade. “A universidade precisa extrapolar os seus muros e ser uma ferramenta viva na solução dos problemas da sociedade”, defendeu.

Previous Unimontes terá coordenadoria para auxiliar nos assuntos relacionados ao Patrimônio Genético e Conhecimento Tradicional Associado
Next Encontros regionais discutem garantias dos direitos das crianças e dos adolescentes

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.