Texto: Ana Paula Paixão / Fotos: Hudson Brazil

Quem passa pela esquina da Av. Mestra Fininha com a rua Cel. Luís Píres, no Centro de Montes Claros, tem um motivo a mais para passar pelo endereço. Na noite de ontem (03), a Santa Casa de Montes Claros inaugurou um presépio em tamanho natural. A atração faz parte da decoração natalina do hospital e foi criada pelo artista Gu Ferreira – autor das obras do Projeto Jardins para Borboletas. A obra foi confeccionada com materiais recicláveis. Além do presépio, a fachada da Instituição também recebeu iluminação.

Outra curiosidade da decoração são as bolinhas de sabão. De acordo com o superintendente Maurício Sérgio Sousa e Silva, a ideia das bolinhas é oferecer a magia natalina aos visitantes de uma forma diferente e divertida. “A população pode vir conhecer o nosso presépio e ainda ter uma experiência ainda mais marcante, uma vez que o presépio simboliza o renascimento, a renovação da fé e esperança”, explica. A decoração ficará exposta até o dia 6 de janeiro, data em que comemora-se o Dia de Reis. As bolinhas de sabão estão programadas das 19 às 00h00. Antecedendo a inauguração, foi celebrada Missa na Capela da Santa Casa pelo Arcebispo Emérito Dom José Alberto Moura, que realizou a bênção do presépio. A celebração contou com a presença de colaboradores, médicos, diretoria e autoridades locais.

Tradição Natalina

O presépio de Natal é uma representação do momento do nascimento de Jesus Cristo. A manjedoura permanece vazia até a meia-noite, simbolizando o Nascimento do Filho de Deus, quando a imagem de Jesus é finalmente colocada.

De acordo com a tradição natalina, os três Reis Magos: Melchior, Gaspar e Baltazar eram homens da ciência. Conheciam astronomia, medicina e matemática. Eles representam a ciência que vai até o Salvador e o reconhecem como Deus. Segundo São João Paulo II, “a verdadeira ciência nos leva à fé”, pois nos revela a grandeza da criação. Os presentes que os magos ofereceram ao Menino Jesus também têm significados. O ouro significa a realeza; era um presente dado aos reis. O incenso significa a divindade, um presente dado aos sacerdotes. Sua fumaça simboliza as orações que sobem ao céu. Dando esse presente a Jesus, os magos reconhecem que o Menino é divino. E a mirra simboliza o sofrimento e a eternidade. É um presente profético: anuncia que Jesus vai sofrer, mas também que seu reinado será eterno.