Queijo Artesanal do Norte de Minas recebe certificado do IMA 


Queijaria Rubi, de Porteirinha, pode comercializar o produto para todo Brasil 

 

A Rubi Queijaria, de Porteirinha, no Norte de Minas, já pode vender seus produtos para todo o Brasil.  Os produtores de Queijo Minas Artesanal (QMA) Rubinei Santos Gomes e o marido Regino Rodrigues da Silva receberam oficialmente o selo de qualidade do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O registro do Selo Arte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento indica que o produto é de origem animal,  100% artesanal, e preserva as  características tradicionais, regionais e culturais.

O processo para que a queijaria recebesse o certificado começou há três anos e, além do empenho dos produtores, contou com o apoio do Sebrae Minas e de outras instituições, como o Sistema FAEMG/SENAR/INAES, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Porteirinha, Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Porteirinha (Aciport),  Emater, IMA, Unimontes, UFMG e Prefeitura de Porteirinha.

 

Rubinei, a primeira produtora de Queijo Minas Artesanal da região Norte a conseguir o registro, comemora a conquista. “Estamos nos sentindo realizados. Após muito trabalho, capacitação e aprendizado é gratificante ver que tudo valeu a pena. Agora, podemos trabalhar com tudo legalizado e expandir nossas vendas para todo o Brasil.  Que nossa conquista sirva de estímulo aos demais produtores da Serra Geral. Quanto mais gente produzindo, melhor para que possamos levar a marca da nossa região a outros estados”, enfatiza.

 

A produtora ressalta que o apoio do Sebrae Minas foi fundamental para a conquista do selo. “O Sebrae esteve com a gente desde o início e nos mostrou que a certificação era possível. Proporcionou viagens técnicas, nas quais conhecemos o processo de outras regiões. Passamos a atuar de forma mais profissional e aprendemos a trabalhar uma mentalidade mais empreendedora, o que foi fundamental para essa conquista”, destaca.

 

Estímulo 

 

O gerente da Regional Norte do Sebrae Minas, Cláudio Luiz Oliveira, enaltece a conquista e acredita que o certificado abre portas para outros produtores.” A Queijaria Rubi mostrou que com trabalho e organização é possível a certificação. Acredito que a partir de agora outros pequenos empreendedores serão estimulados e seguirão o caminho para também receberam o certificado. E nós do Sebrae estaremos apoiando no que precisarem. Sentimos honrados e orgulhosos com essa conquista”.

 Trabalho reconhecido

 

O presidente da Associação dos Produtores de Queijo Artesanal da Serra Geral (Aproqueijo), Everson Pereira, que é produtor de requeijão, conta que a conquista é uma recompensa pelo trabalho e um estímulo para novas certificações.

 

“Desde 2014, quando fomos à Serra da Canastra conhecer o trabalho dos produtores de lá e fundamos a associação, estamos trabalhando com apoio de várias instituições, entre elas o Sebrae Minas. É gratificante ver essa conquista e isso gera um impacto muito positivo pra todos nós produtores, porque podemos ver que também somos capazes. É só acreditar, trabalhar, se capacitar e seguir todas as orientações das entidades apoiadoras. Acredito que esse foi só o primeiro de muitos que virão”, comemora o presidente da Aproqueijo, órgão que conta com 44 produtores em Porteirinha e atende cerca de 800 em toda a região.

Previous Crianças com câncer na onda roxa
Next Abertas as inscrições para o SiSU/Unimontes

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.