PGR pede abertura de inquérito contra Salles no STF


A PGR (Procuradoria Geral da República) solicitou ao STF (Supremo Tribunal Federal) nesta 2ª feira (31.mai.2021) a abertura de inquérito contra o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles. O pedido é para investigar os crimes de advocacia administrativa, obstrução de investigação ambiental e organização criminosa. A ministra Cármen Lúcia deve avaliar.

O pedido de inquérito deriva da notícia-crime apresentada em abril pelo ex-superintendente da PF (Polícia Federal) no Amazonas, Alexandre Saraiva. Ele acusou Salles de atuar em favor de madeireiros investigados da Operação Handroanthus GLO, que mirou extração ilegal de madeira na Amazônia no final do ano passado.

Apesar da notícia-crime ter acusado o senador Telmário Mota de integrar a suposta organização criminosa, a PGR apontou que as informações trazidas por Saraiva seriam insuficientes para abrir um inquérito contra o congressista. “Isso porque a mera manifestação pública não é capaz de, diretamente, interferir na atividade investigativa, decorrendo do exercício da atividade representativa”, disse.

A PGR solicitou a oitiva dos madeireiros investigados pela PF e dos agentes de fiscalização da corporação e do Ibama que atuaram na Handroanthus GLO, cópia digitalizada dos procedimentos de investigação relacionados a crimes ambientais e uma inquirição de Salles.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

Segundo a PGR, foram colhidas informações e o depoimento do próprio Salles, mas o ministro não apresentou esclarecimentos quanto às acusações de Saraiva sobre suposta “defesa da pretensão dos proprietários rurais” antes das investigações da Handroanthus GLO serem concluídas.

A Procuradoria cita ainda que Salles foi alvo da Operação Akuanduba, que quebrou o sigilo bancário e fiscal do ministro.

“Tal cenário evidencia, de forma ampla, a necessidade de aprofundamento investigativo dos fatos noticiados à Procuradoria-Geral da República e ao Supremo Tribunal Federal, concernentes à atuação do mencionado agente político”, afirmou o vice-procurador-geral Humberto Jacques de Medeiros.

Procurado pelo Poder360, o Ministério do Meio Ambiente afirmou que o inquérito “será uma boa oportunidade para esclarecer todos os fatos”. 

Previous Receita Federal espera pagar R$ 25,6 bilhões em restituições do IR em 2021
Next Embaixada da China no Brasil critica países por politização de investigação

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.