PARCERIA NA ERA PÓS-PANDEMIA


Convênio entre a Unimontes e universidade chinesa abre novas perspectivas de tratamento de saúde

 

China-Brasil: Unimontes firma convênio nesta quarta-feira (26/5) e integrará rede internacional de cooperação contra a Covid-19

 

A Universidade Estadual de Montes Claros assinou convênio de cooperação com a Universidade de Medicina Chinesa de Nanquim – Nanjing University of Chinese Medicine (NJUCM). O acordo está inserido numa rede de cooperação entre instituições do Brasil e da China que visa fomentar estudos sobre a medicina tradicional na era pós-pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19). O convênio foi oficializado nesta quarta-feira (26/5), durante o Webnário  “Cooperação Internacional – Medicina tradicional contra a COVID-19. O encontro virtual  reuniu representantes de instituições chinesas e brasileiras. O documento foi assinado pelo reitor da Unimontes, professor Antonio Alvimar Souza; e pelo vice-reitor da a Universidade de Medicina Chinesa de Nanquim. Sun Zhiguang.

Entre outros convidados, o encontro online contou com a participação do prefeito de Montes Claros, Humberto Souto, do secretário do Desenvolvimento Econômico do município, Edilson Torquato, do representante da Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (INDI), Ivan Gonçalves Pinto Junior e da vice-reitora da Unimontes, professora Ilva Ruas Abreu. Contou ainda com a participação de professores e pesquisadores da universidade envolvidos na iniciativa.

 

“O convenio firmado entre as duas universidades aponta para uma nova perspectiva e abordagem no tratamento de saúde, que leva em consideração as diversas dimensões do ser humano, desde a dimensão física e outras dimensões que a vida pede de cada um de nós”, enfatizou o reitor.

 

O reitor emendou destacando que “queremos agradecer ao povo chinês por possibilitar essa relação de proximidade e por permitir uma parceria para o nosso crescimento, para avançarmos em termos de pesquisa e inovação, com uma nova forma de abordar a saúde”, disse Alvimar, lembrando que os chineses têm um conhecimento milenar “em todas as áreas” e que está sendo compartilhado com as instituições brasileiras. O reitor ressaltou ainda a relevância da contribuição da China nas ações de enfrentamento da pandemia do Novo Coronavírus. “Agradecemos a parceria e a solidariedade do povo chinês, sobretudo, nesse momento de combate à Covid-19. Nesse momento, necessitamos dessa ajuda solidária do povo chinês, que tem sido tão preciosa e tem nos ajudado na empreeitada no combate ao coronavírus”.

 

O reitor salientou que “a Universidade, em qualquer lugar do mundo, é o espaço de divulgação do conhecimento e do ensino. É o espaço de preservação dos valores mais nobres da cultura humana”. Nesse sentido, assinalou: “temos uma luta em conjunto para que o conhecimento possa ser dividido com mais pessoas, para conseguirmos amenizar e superar as mazelas sociais do país”.  O professor Antonio Alvimar lembrou ainda que o Brasil possui uma grande biodiversidade, que poderá ser fonte de pesquisas nos avanços da medicina tradicional. “Temos uma grande biodiversidade, na qual podemos encontrar princípios ativos que podem dar mais saúde – uma vida mais saudável – ao povo brasileiro”, pontuou.

 

CONVÊNIO

 

O convênio entre a Unimontes e a Nanjing University of Chinese Medicine conta com comissão científica formada pelos professores Mauro Aparecido Xavier (Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia/PPGB), Viviane Carrasco (Departamento de Enfermagem) e Mariléia Chaves Andrade (Departamento de Fisiopatologia). O professor Marcos Fábio Martins de Oliveira (Departamento de Economia) é orientador da formatação da parceria. O acordo com a China envolve, ainda, pesquisadores do Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF/Unimontes), Departamento de Economia, Programa de Mestrado em Desenvolvimento Econômico e Estratégia Empresarial e Coordenadoria de Inovação Tecnológica (CIT).

 

A rede internacional de cooperação de Medicina Tradicional para o Enfrentamento da Covid-19 é financiada pela Fundação Hengji de Desenvolvimento e Gerenciamento de Saúde de Beijing (Pequim), em parceria com o Governo do Estado de Minas Gerais, por meio do INDI.

Previous ROBÔ HUMANOIDE CHAMA A ATENÇÃO PARA HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS
Next Destaque de Enfermagem em MG, servidoras do HUCF vencem prêmio do Coren

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.