ONS diz tomou medidas para assegurar fornecimento de energia em 2021


Um dia depois de alertar que os reservatórios de ao menos 8 usinas hidrelétricas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste podem estar praticamente vazios até o final de novembro, o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) divulgou uma nova nota na 6ª feira (4.jun.2021) afirmando que diversas medidas foram aprovadas e já estão em curso para assegurar “o fornecimento de energia e potência em 2021”.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

Num 1º momento, considerando as previsões de afluência obtidas com a chuva de 2020, o ONS afirmou que a perspectiva era de perda do controle hidráulico de reservatórios da bacia do Rio Paraná no 2º semestre de 2021. O órgão mandou uma nota técnica ao Ministério de Minas Energia e à ANA (Agência Nacional de Águas e Saneamento) com esses apontamentos.

Já na nova nota divulgada. o operador afirmou que faz estudos, análises e avaliações de cenários para um horizonte de até 5 anos. A partir disso, o mais recente comunicado traz “resultados consolidados dos estudos com projeções para o período de junho a novembro de 2021 e são contempladas diversas hipóteses”.

Segundo o ONS, o “único cenário em que há risco de déficit é o cenário de referência, utilizado para demonstrar que ações precisavam ser tomadas com o intuito de evitar essa ocorrência”.

Eis a íntegra da nota:

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) tem entre suas atividades realizar estudos, análises e avaliações de cenários para um horizonte de até cinco anos. Desta forma, a nota técnica traz resultados consolidados dos estudos com projeções para o período de junho a novembro de 2021 e são contempladas diversas hipóteses. 

O único cenário em que há risco de déficit é o cenário de referência, utilizado para demonstrar que ações precisavam ser tomadas com o intuito de evitar essa ocorrência. Sendo assim, diversas medidas foram aprovadas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico – CMSE e já estão em curso, o que faz com que esse cenário não se concretize e se garanta o fornecimento de energia e potência em 2021. 

Entre as ações em curso destacam-se a flexibilização das restrições hidráulicas dos aproveitamentos localizados nas bacias dos rios São Francisco e Paraná; aumento da geração térmica e da garantia do suprimento de combustível para essas usinas; importação de energia da Argentina e do Uruguai, além de campanha de uso consciente da água e da energia.

O ONS reforça que o país passa pela pior crise hidrológica desde 1930 e que nos últimos sete anos os reservatórios das hidrelétricas receberam um volume de água inferior à média histórica. É neste contexto que todos os esforços estão sendo envidados, com transparência e informação à população, para que o país atravesse a crise hídrica sem problemas no fornecimento de energia, que como dito anteriormente, está garantido este ano.

Previous G7 fecha apoio a imposto mundial de pelo menos 15% sobre grandes empresas
Next Deltan Dallagnol expressa apoio a Bretas depois de reportagem

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.