Ministério Público recomenda que Goiás e capital não sediem Copa América


O MP-GO (Ministério Público do Estado de Goiás) expediu recomendação ao Estado para que adote medidas contrárias à realização da Copa América. O documento, assinado na 4ª feira (2.jun.2021) foi enviado ao governador Ronaldo Caiado (DEM). Eis a íntegra (90 KB).

O texto cita a ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes com covid-19 em Goiânia, capital de Goiás, cuja taxa estava em 77,95% quando o documento foi expedido. Os leitos de enfermaria tinham taxa de ocupação de 71,64%.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

Os membros do MP ainda destacam decreto estadual (íntegra – 87 KB) que prevê a imposição de restrições sanitárias em caso de risco epidemiológico nos municípios goianos.

O órgão ressalta também que a flexibilização das medidas restritivas “não poderá ser utilizada quando o município estiver situado em região com situação classificada como de calamidade”.

A recomendação é baseada em deliberação do COE (Centro de Operações Emergenciais) em Saúde Pública de Goiás para Enfrentamento ao Coronavírus. Na 4ª feira (02.jun), o centro se posicionou unanimemente contrário à realização dos jogos em Goiás.

Na 3ª feira (1º.jun), o MP já havia recomendado ao município de Goiânia que não sediasse o evento, com base nos mesmos argumentos. Eis a íntegra (91 KB) da recomendação, assinada em 31 de maio.

O órgão estipulou prazo de cinco dias para que o Estado de Goiás informe sobre as providências adotadas.

COPA AMÉRICA NO BRASIL

Na 2ª feira (21.mai), a Conmebol confirmou que a Copa América 2021 será realizada no Brasil a partir de 11 de junho. Segundo confirmado pelo ministro Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil), os jogos acontecerão em Mato Grosso, Rio de Janeiro, Goiás e Distrito Federal.

Segundo levantamento do Poder360, todas as sedes têm taxas de ocupação de leitos de UTI acima de 80%.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, afirmou que o Estado foi consultado sobre a disponibilidade para receber os jogos do evento. Segundo ele, após conversar com sua equipe técnica, determinou uma “série de condições para que os jogos fossem em Goiânia”. Eis o pronunciamento do governador, feito em seu perfil no Twitter:

“Goiás foi consultado sobre a disponibilidade para receber jogos da Copa América. Conversamos com nossa equipe técnica e determinei uma série de condições para que os jogos fossem em Goiânia. 

1) A primeira dela foi que todos as partidas e treinos não contassem com torcida. 2) E que fosse montado um sistema estilo bolha, que protegesse atletas, arbitragem, comissão técnica, imprensa e todos os envolvidos direta e indiretamente com o processo. O que foi aceito.

3) Que a Conmebol vacinasse todos os envolvidos na competição. Atletas, arbitragem, comissão técnica, imprensa e funcionários envolvidos direta e indiretamente. Aceitaram.

4) Além disso, não aceitamos gastar um centavo com a competição. Qualquer investimento de infraestrutura será por conta deles. Inicialmente, os jogos serão no Estádio Olímpico, sem público. E o Serra Dourada vai servir de suporte.

5) Não podemos politizar esse assunto de Copa América. Porque estamos tendo Campeonato Brasileiro, Sul-Americana, Libertadores e Eliminatórias. Tivemos estaduais. Qual a diferença se protocolos até mais rígidos de segurança serão tomados? É preciso pensar na saúde e ter coerência”.

Previous ‘Escultura imaterial’ é vendida por mais de R$ 90 mil na Itália
Next Barroso suspende despejos por 6 meses por causa da covid

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.