Mãe e filha dão a luz no mesmo dia, em registro inédito no Hospital da Unimontes

 

Família de Bocaiuva trata a coincidência como providência divina; 100 gramas mais pesado, Gustavo nasceu quase 7 horas antes do tio Enzo

 

A arte imita a vida? Ou seria o contrário? Na novela “Por Amor”, sucesso dos anos 90 escrito por Manoel Carlos, mãe (Helena) e filha (Maria Eduarda) ganham os filhos no mesmo dia, na mesma maternidade. E na vida real, o cenário desta história em Montes Claros foi a maternidade Maria Barbosa, do Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), vinculado à Universidade Estadual de Montes Claros.

 

Na última quarta-feira (26/2), Sueli da Cruz Marinho, de 44 anos e que trabalha como diarista, e sua filha Jéssica da Cruz Marinho Andrade, dona de casa de 26 anos, também viveram esta dupla emoção, que impressionou até mesmo aos próprios servidores, já acostumados com a rotina hospitalar.

 

SONHO – Seria coincidência, destino ou providência divina? As mães fazem questão de narrar suas experiências. Natural de Bocaiuva, a 42 quilômetros de Montes Claros, Sueli já tem outros cinco filhos. A mais nova tem 13 anos e a Jéssica é a mais velha. Ela conta que, quando soube da gravidez da filha, teve um sonho na véspera, justamente com uma grávida. Porém, não identificar o rosto da mulher durante o sonho.

 

“Quando ela me contou, nunca imaginaria que Deus também me guardava uma surpresa ainda maior. Ao mesmo tempo ficar grávida com a minha filha foi muito especial. Não esperava. Saber que tenho filho e um neto no mesmo dia? Aí já foi maravilhoso”, disse emocionada.

 

SURPRESA

 

A “mamãe-vovó” ouviu, emocionada, o depoimento da filha. “Uma surpresa muito grande. Tive 39 semanas de gestação. Senti as primeiras dores das contrações ainda em Bocaiuva. Procurei o hospital da cidade, mas estava sem obstetra no dia. Então, fui encaminhada para Montes Claros. Pouco tempo depois, minha mãe também entrou em trabalho de parto, mesmo com 35 semanas. Ela procurou o hospital, mas como ainda não tinha o obstetra naquele dia, assim como eu, foi trazida para cá. Muita coincidência”, conta Jéssica, que já é mãe de Yasmin de 5 anos.

 

O parto de dona Sueli foi natural. Já o de Jéssica, diante de algumas complicações com a diabetes gestacional, teve que ser em cesariana. O seu segundo filho, Gustavo, nasceu com 3,3 quilos, às 10h54. O irmão caçula Enzo nasceu à tarde, às 17h43, com 100 gramas a menos que o sobrinho: 3,2 quilos. Gustavo é o 4º neto de Sueli.

 

Para Jéssica o nascimento do seu filho e do seu irmão no mesmo dia e maternidade só tem uma explicação: “Não foi coincidência. Foi Deus. Agora vamos uma cuidar da outra e ajudar na educação e criação dos nossos filhos. E o bom é que iremos comemorar os dois aniversários juntos. Será uma só festa. Vamos gastar menos”, sorriu.

 

Arlenes Soares Silva é coordenadora administrativa da Maternidade do HUCF e trabalha há mais de 25 anos no local, mas confessa que nunca presenciou um fato tão curioso e, ao mesmo tempo, emocionante. “Nunca havíamos vivido uma experiência tão diferente como essa. Foi emocionante para toda a equipe multidisciplinar da maternidade. Todos nós estamos encantados com a história de Sueli e Jéssica e com os desígnios de Deus”, relatou.