Livro sobre a história de mulheres pioneiras no rádio e na TV no Norte de Minas será lançado nesta segunda-feira


Texto do Luiz Ribeiro

– obra resulta de curso de mestrado na Unimontes

O pioneirismo de quatro mulheres no rádio e na TV no Norte de Minas é contada em um livro. A obra “Elas fizeram a História e a Notícia – as pioneiras nas ondas do rádio e da TV (Norte de Minas – 1979 a 1997) será lançado nesta segunda-feira (13/09), no horário das 19 às 22 horas, no espaço da Livraria Nobel, no Montes Claros Shopping Center.

O livro (publicado pela Paco Editorial) é de autoria da jornalista Ana Carolina Ferreira, que escreveu a obra como resultado da dissertação do mestrado em História que ela concluiu na Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) em 2019. Intitulada “Elas fizeram a história e a notícia: entrada de mulheres em rádio e TV em Montes Claros (1979 – 1997)”, a dissertação teve como orientadora a professora doutora Cláudia de Jesus Maia, do Programa de Pós-Graduação (PPGH) da Unimontes.

Conforme explica a autora e mestre pela Unimontes, o livro apresenta uma “reconstrução do passado”, mostrando como foi a vinda da primeira emissora de televisão para a região, a antiga TV Montes Claros (atual Intertv Grande Minas/afiliada Rede Globo) e a consolidação da antiga Rádio Sociedade. A história é contada sob a ótica das mulheres pioneiras na comunicação radiofônica e televisada de Montes Claros: Vanda Gonçalves (Radio Sociedade), Ligia Maria Rocha Tupy, Marina Queiroz e Rosângela Silveira (TV Montes Claros).

“O livro atende tanto público acadêmico, que faz pesquisas sobre a história das mulheres e sobre questão de gênero, como as essoas que não pertencem ao mundo acadêmico e que têm curiosidade em relação ao jornalismo e à comunicação no Norte de Minas e no próprio Brasil, pois conta com abordagens nacionais. Enfim, é um livro eclético”, esclarece Ana Carolina Ferreira.

“As questões de gênero ficam muito evidente na pesquisa que fizemos. Por outro lado, a pesquisa também mostra o quanto a vinda de uma emissora de TV foi importantíssima para o desenvolvimento de uma região. Mostra como isso ocorreu”, salienta.

A autora explica que uma das curiosidades apresentadas pela obra é o impacto da chegada da antiga TV Montes Claros (inaugurada em 14 de setembro de 1980) junto à população. Ela descreveu esse impacto ao ter acesso a cartas que telespectadores enviaram para a então recém-inaugurada emissora de TV. As correspondências foram guardadas por Marina Queiroz.

Ana Carolina Ferreira enfatiza a importância do trabalho desenvolvido no âmbito do Programa de Mestrado da Universidade Estadual de Montes Claros. “Eu sou muito grata ao Programa de Pós-Graduação em História da Unimontes, no qual os professores me receberam de braços abertos. Fui bem acolhida”, afirma.

 

“Agradeço esse acolhimento, principalmente, por não ter feito uma graduação em História. Tive que fazer um esforço para compreender como o historiador pensa e os professores do programa, no geral, tiveram boa vontade comigo. Procurei me esforçar ao máximo para corresponder à altura a esse tratamento que recebi da parte deles”, relata jornalista e escritora.

Ela enaltece também a relevância da Universidade. “A Unimontes é uma universidade pública. E uma titulação de uma universidade pública tem peso, tem nome”, observa Ana Carolina Ferreira, que adianta os seus novos planos: ingressar em um curso de doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Comunicação – a área de sua graduação e de atuação profissional. Atualmente, ela trabalha em Belo Horizonte.

 

Previous Thom Bar é tricampeão do Comida di Buteco em Montes Claros
Next Coelho faz duelo equilibrado contra o Sada Cruzeiro em último amistoso antes do Mineiro

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.