JUNHO VERMELHO: Hospitais de Montes Claros se unem e incentivam doação de sangue para o Hemominas


Junho é um mês frio em que a incidência de doadores de sangue do Hemocentro Regional de Montes Claros/Fundação Hemominas tende a diminuir naturalmente, devido às doenças respiratórias típicas desta época. E, aliado a este fator, vivenciamos a pandemia da Covid-19, que agravou ainda mais o sistema de captação de doadores.

Justamente por causa desses dois fatores, cinco instituições hospitalares de Montes Claros, Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), Hospital Santa Casa, Hospital Aroldo Tourinho, Hospital Dílson Godinho e Hospital das Clínicas Mário Ribeiro se unem, pelo segundo ano consecutivo, com a finalidade de conscientizar e ajudar na captação de novos candidatos a doadores de sangue para o Hemominas.

No Brasil, apenas 1,8% da população é doadora de sangue, mas a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que entre 3% e 5% da população de um país deve doar sangue.

“No outono, as doações caem bastante chegando até 40% no número de entrada de candidatos a doação. O novo Coronavírus também afeta, significativamente, este número. Por isso, a campanha Junho Vermelho visa repor os bancos de sangue do Hemominas. A campanha dos hospitais vem somar com o a campanha já realizada pelo Hemominas, desde que foi constituído o Junho Vermelho em 2015”, a responsável pela captação de doadores do Hemocentro Regional de Montes Claros, Rosana Silva.

Dia Mundial do Doador

A mobilização em prol do Hemocentro Regional será durante todo o mês e terá o seu ponto alto na próxima segunda semana, já que no dia 14 de junho é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue. A data foi estabelecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) com o objetivo de promover ações de incentivo à doação de sangue em todo o mundo. A data presta homenagem a Karl Landsteiner (1868 -1943), médico e biólogo austríaco naturalizado americano. Em 1930 ele ganhou um Prêmio Nobel pela classificação do sistema ABO e descoberta do Fator Rh.

Rosana Ferreira explica que são atendidas pelo Hemominas 38 unidades hospitalares em 26 municípios do Norte de Minas. A demanda mensal gira torno de 1.500 bolsas de sangue. “Estamos com uma média bem menor por causa da pandemia. Com isso a média mensal de cada hospital em Montes Claros ficou assim: Santa Casa (780 bolsas); Dilson Godinho (245); Hospital Universitário (170 bolsas); Aroldo Tourinho (150) e Mário Ribeiro (25 bolsas). As demais bolsas atendem aos hospitais regionais”, pondera. “Temos que atender aos decretos e normas sanitárias de segurança em relação ao coronavírus. O Limite máximo no ambiente de doação é de 17 pessoas. Grupos somente até 10 pessoas e por agendamento”, ressalta a coordenadora do Hemocentro Regional sobre o período de pandemia.

O Hemocentro Regional atende normalmente, de segunda à sexta, de 7h às 17h30, ou conforme a capacidade de atendimento, dentro das normas de segurança. Os agendamentos são feitos pelo telefone: 155, opção 1 ou pelo MG APP e via site: www.hemominas.mg.gov.br . A sede regional fica na Rua Urbino Viana, 640, Vila Guilhermina (ao lado da Câmara Municipal).

 

Serviço

Quem pode doar?

– Pessoas que estejam com boa saúde e idade entre 16 até 69 anos; (menores poderão doar apenas com consentimento dos pais ou responsáveis legais); A primeira doação somente poderá ser feita por candidatos com menos de 60 anos.

– Pesar acima de 50 quilos e dormir bem na noite anterior a doação (6 horas no mínimo);

– Ficar pelo menos 12 horas antes da doação sem ingerir bebida alcoólica;

 

– Apresentar documento original da carteira de identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista ou carteira de motorista (dentro do prazo de validade) com foto;

– Não apresentar nenhum sintoma de febre amarela, dengue, zika, sarampo e chikungunya, nos últimos 30 dias.

Os candidatos à doação não podem

– Estar gripado ou com febre nos últimos 15 dias;

– Ter tido hepatite após os 11 anos de idade;

– Estar exposto a situação de risco (múltiplos parceiros sexuais, uso de drogas, ter como parceiro sexual um portador do vírus da AIDS);

– Apresentar ferimento ainda não cicatrizado;

– Ter sido submetido à cirurgia de grande porte nos últimos 6 meses;

– Ter sido submetido a exames de endoscopia ou broncoscopia nos últimos 6 meses;

– Estar em tratamento para pressão alta.

– Ter tido dengue, febre amarela, sarampo, zika e chikungunya nos últimos 30 dias;

– Ter feito tatuagem, maquiagem definitiva ou colocado piercing nos últimos 12 meses;

– Ter tomado vacina no último mês (como a contra SARAMPO, rubéola ou febre amarela);

OBS: no caso da vacina contra a gripe (H1N1), a pessoa está liberada 48 horas após;

– Ter histórico de anemia recente;

– Ter tido problema de saúde recente;

– Ter diabetes;

– Ter recebido transfusão de sangue nos últimos 12 meses;

– Estar fazendo ou ter feito uso de medicamentos conforme esquema abaixo:

Antibióticos: liberado após 15 dias (a critério médico);

Analgésicos e Anti-inflamatórios serão analisados caso a caso pela triagem clínica da unidade.

 

Informações Adicionais

DOAÇÕES PELA MANHÃ: Todos os candidatos deverão tomar café normalmente (não podem estar em jejum).

DOAÇÕES PELA TARDE: Se o candidato almoçar, aguardar 03 horas para efetuar a doação.

MULHERES: Não podem ter tido aborto recente ou estar grávidas ou amamentando.

Atenção: A menstruação e o uso de anticoncepcionais não impedem a doação.

INTERVALO ENTRE DOAÇÕES: 90 dias para as mulheres (no máximo 3 vezes ao ano).

60 dias para os homens (no máximo 4 vezes ao ano).

Previous CORONAVÍRUS: AFYA Educacional e Hospital Universitário disponibilizam cursos gratuitos para profissionais da saúde
Next “Desafio é repensar o Nordeste”, diz Alexandre Cabral ao tomar posse na presidência do Banco do Nordeste

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.