HUCF registra aumento na geração de lixo Hospitalar


Pandemia é responsável pela maior produção nos seis primeiros meses deste ano

 

Texto e fotos: Wesley Gonçalves/Ascom HUCF/Unimontes

A produção de lixo hospitalar no Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF) da Unimontes cresceu 2,29% desde o início da pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19).

Foram recolhidas 23 toneladas (23.740,200 kg) entre janeiro e julho do ano passado. E no mesmo período deste ano, 24 toneladas (24.284,380 kg). Em todo o ano de 2019, o HUCF recolheu 41.849,800 kg de lixo hospitalar, quase 42 toneladas.

Os dados são do Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) do HUCF e da Serquip Tratamento de Resíduos MG LTDA, empresa responsável pelo recolhimento do lixo hospitalar.

O HUCF acompanhou a tendência do país na geração de lixo hospitalar, com aumento de 20%, somente no mês de julho em comparação a igual período do ano passado, segundo informações da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

A Abrelpe registrou queda, nos meses de abril e maio, de 17% e 4,6%, respectivamente, na geração dos resíduos hospitalares. A partir de junho, no entanto, a quantidade voltou a subir.

A entidade também ressaltou que a média diária de lixo hospitalar por pessoa infectada e internada para tratamento do Novo Coronavírus 19 tem sido de 7,5 quilos.

Servidor do HU há 28 e há dois como responsável pelo PGRSS, Edílson Antonio Pereira dos Santos explica que todo o material recolhido no HUCF é devidamente incinerado. “A empresa recolhe o material diariamente e procede dentro das recomendações ambientais. A cada 100 quilos de material incinerado é gerado 4 quilos de cinzas, que são encaminhadas pela própria empresa para Belo Horizonte para a destinação final”, destacou.

Outro ponto que o servidor destaca é o crescimento do lixo hospitalar. “Estamos em meio a uma pandemia e os hospitais tiveram um crescimento mesmo com atividades suspensas por consequência da Covid-19, e o aumento no número de usuários assistidos pelos hospitais. A prova é que nos seis primeiros meses deste ano, o lixo hospitalar gerado pelo HUCF superou o montante do mesmo período do ano passado”, ponderou.

Importante destacar que o Hospital Universitário Clemente de Faria segue, rigorosamente, durante o período de pandemia, todos os protocolos sanitários exigidos e preconizados pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde.

Previous Aplicações do Banco do Nordeste no segmento empresarial crescem 34,8% no primeiro semestre
Next O bom atendimento pode mudar uma decisão de compra

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.