Governo restringe entrada de estrangeiros por mar e terra; voos seguem liberados


O governo federal publicou nesta 2ª feira (31.mar.2021) uma portaria que restringe a entrada de estrangeiros no Brasil. A decisão, de 6ª feira (28.mai.2021), afirma que a medida é temporária mas não explica qual será a duração. As principais restrições são para entradas por via terrestre ou aquaviária.

Não será impedido, porém, o acesso ao país de pessoas nas seguintes situações:

Residente – imigrante com residência definitiva no Brasil;Missão internacional – profissional estrangeiro a serviço de organismo internacional;Funcionários – funcionário estrangeiro acreditado junto ao governo brasileiro;Familiares – estrangeiro com cônjuge, companheiro, filho, pai ou curador de brasileiro;Motivos humanitários – estrangeiro cujo ingresso seja autorizado especificamente pelo Governo brasileiro em vista do interesse público ou por questões humanitárias;Registrado – portador do Registro Nacional Migratório.

Também não haverá restrição ao transporte de cargas ou o tráfego de quem mora em cidades-gêmeas em região de fronteira. Por exemplo: Corumbá e Puerto Suarez, na Bolívia.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

Seria o mesmo caso de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, mas as regras estabelecidas não se aplicam à circulação entre Brasil e Paraguai.

A medida visa frear a disseminação do coronavírus e suas novas variantes, de acordo com o documento. Assinam os ministros Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil), Marcelo Queiroga (Saúde) e Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública).

O governo exige de quem chegar por via aérea a apresentação de resultado negativo de exame RT-PCR realizado no máximo 72 horas antes do embarque. O teste é usado para detectar o coronavírus no organismo.

A portaria suspende a autorização para embarque de estrangeiros rumo ao Brasil de procedentes ou com passagem por 3 países: Reino Unido, África do Sul e Índia. Esses 3 locais, assim como o Brasil, são berços de variantes do coronavírus.

O documento cita também a Venezuela, que tem sido origem de fluxo migratório para o Brasil. Para estrangeiros provenientes de solo venezuelano não se aplicam as excessões relativas a ter residência ou familiar em território brasileiro, ter Registro Nacional Migratório ou morar em cidade-gêmea em área de fronteira.

Previous Receita Federal espera pagar R$ 25,6 bilhões em restituições do IR em 2021
Next Embaixada da China no Brasil critica países por politização de investigação

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.