Funcionária acusa presidente da CBF de assédio sexual e moral


Uma funcionária da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) acusa o presidente da entidade, Rogério Caboclo, de assédio moral e sexual. O documento foi obtido pelo Globo Esporte.

A acusação foi formalmente protocolada na tarde desta 6ª feira (04.jun.2021). No texto, ela afirma ter todas as provas e pede que Caboclo seja investigado na Justiça Federal, além de punido com afastamento da confederação.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

Segundo ela, o dirigente a teria constrangido em viagens e reuniões de trabalho, inclusive na presença de diretores da CBF. Ela detalha o dia em que Caboclo perguntou se ela se “masturbava”, depois de sucessivos comportamentos abusivos. Diz ainda que ele tentou forçá-la a comer um biscoito de cachorro, chamando-a de “cadela”.

A funcionária também afirma que o presidente estava sob efeito de álcool quando os abusos ocorreram. No documento, ela relata que ele pediu para que ela escondesse bebidas em lugares combinados.

Rogério Caboclo ainda não se pronunciou sobre as acusações.

Previous Meta de Doria obriga governo a tirar bunda da cadeira, diz Wellington Dias
Next Nigéria suspende Twitter depois de postagem do presidente ser apagada

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.