Flávio Bolsonaro anuncia filiação ao Patriota


O presidente do Patriota, Adilson Barroso, disse nesta 2ª feira (31.mai.2021) que o senador Flávio Bolsonaro se filiou à sigla. Deu a declaração na convenção nacional do partido. O congressista confirmou a informação.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

Flávio Bolsonaro anunciou em 26 de maio que se havia se desfiliado do Republicanos. Ele estava na sigla desde março de 2020. “A minha vinda para o Patriota é para somar. Queria fazer um convite a todos para construirmos juntos o maior partido do Brasil após as eleições de 2022. a gente tem tudo para isso, basta deixar vaidades de lado”

Em publicação em seu perfil no Twitter, Flávio agradeceu os integrantes do partido pelo “tratamento excepcional, transparente e respeitoso de todos os dias”. No tweet, o senador aparece em uma foto ao lado do presidente da sigla, o deputado Marcos Pereira, a quem chamou de “amigo”. 

De acordo com nota divulgada pelo gabinete do senador quando ele se desfiliou do Republicanos, ele aguardava uma definição do seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, sobre qual seria a nova sigla a qual eles deveriam se filiar.

Adilson Barroso disse ainda no encontro virtual que o presidente Jair Bolsonaro aceita se filiar ao partido “sem pedir uma bala” em troca.

Barroso tenta abrir caminho nos diretórios para facilitar a filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus aliados. Uma ala da sigla, liderada pelo vice-presidente do partido, Ovasco Resende, e pelo deputado Fred Costa, porém, diz que há ilegalidade na convocação da convenção.

Se vocês [ala contra Adilson] pegassem o partido, ele [Bolsonaro] não vinha nem se desse o mundo para ele. Mas graças a Deus ele vem hoje para o partido por causa da amizade sem pedir uma bala”, disse.

Flávio Bolsonaro foi mais um a sugerir a filiação do pai. “Agora com Bolsonaro na presidência da república, não tenho dúvida que a gente pode construir partido maior ainda que o PSL”, disse o senador.

O grupo opositor a Adilson afirma que houve retirada forçada de integrantes do diretório e de delegados nacionais para que o dirigente da legenda tenha a maioria. Com isso, abre-se caminho para a “entrega” do Patriota a Bolsonaro.

Jair Bolsonaro deixou o PSL em novembro de 2019, com a intenção de criar uma nova legenda chamada Aliança pelo Brasil.

 

 

Previous Deputado vai à Justiça contra a realização da Copa América no Brasil
Next Rio de Janeiro inicia vacinação contra covid-19 para público em geral

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.