A União das Entidades de Montes Claros e do Norte de Minas, congregando as entidades de classe e empresariais que representam a Sociedade Civil Organizada e os diversos segmentos produtivos do Norte de Minas Gerais, apresentou uma carta de reivindicação ao Prefeito Humberto Souto e à Câmara de Vereadores, no último dia 26 de março.

O objetivo é amenizar os efeitos da crise econômica perante a pandemia do coronavírus. Os representantes das entidades entendem que, considerando o grave estado da saúde pública mundial e o consequente reflexo econômico/financeiro sem precedentes, o poder executivo poderia reduzir os percentuais e valores dos impostos e taxas municipais e tributos. A classe empresarial também solicitou a prorrogação dos prazos de pagamento de impostos e taxas, com isenção de juros e multas para as empresas.

O presidente da Associação Comercial Industrial e de Serviços –ACI, Dr Newton Figueiredo, destaca que a União das Entidades se preocupa com as dificuldades que a classe produtiva terá para honrar seus compromissos, especialmente com seus colaboradores, na tentativa de minimizar o desemprego. “Acreditamos na sensibilidade e coerência tanto do executivo, quanto do legislativo de nossa cidade”.

A carta, que teve cópia enviada ao presidente da Câmara do Vereadores, Marcos Nem, foi assinada pelas seguintes entidades: Associação Comercial Industrial e de Serviços – ACI, Agência de Desenvolvimento da Região Norte de Minas Gerais – ADENOR/MG, Câmara de Dirigentes Lojista de Montes Claros – CDL, Conselho de Desenvolvimento Municipal de Montes Claros – CODEMC, Conselho de Veneráveis do Norte de Minas – CONVENORTE, FIEMG – Regional  Norte, Fundação de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e Inovação do Norte Minas –FUNDETEC, Sindicato Rural de Montes Claros, Sociedade Rural de Montes Claros, Sindicato do Comércio Varejista de Montes Claros, Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas de Material  Elétrico,  Eletrônica e Similares do Norte de Minas – SIMETRON, Sindicato das Indústrias do Vestuário do Norte de Minas – SINDVEST/NM, Sindicato das Indústrias da Panificação do Norte de Minas – SINDIPAN, e pelo Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Norte de Minas – SINDUSCON.