Coordenadora relata as experiências do Coral Universitário na pandemia em novo podcast


Professora Mel Callado fala ao Coletivo Unimontes Cultura e Arte também sobre como concilia música e literatura na carreira acadêmica

 

As experiências acadêmicas e musicais e as novas incursões na Literatura. Coordenadora do Coral Universitário “Clarice Sarmento”, da Universidade Estadual de Montes Claros, a professora Maria Amélia Castilho Feitosa Callado conta a sua trajetória profissional e pessoal como convidada da edição de julho do Coletivo Unimontes Cultura e Arte (CUCA) – Integrando Arte, Integrando Projetos.

 

Lançado em 2021, o CUCA consiste na produção de um PodCast pela Coordenadoria de Extensão Cultural, da Pró-Reitoria de Extensão, com foco na divulgação detalhada sobre as produções de professores e alunos da Unimontes associadas à música e às áreas afins. O programa deste mês é dividido em duas partes, com transmissão pelo canal Coletivo Unimontes, no YouTube (www.bit.do/coletivo_unimontes).

Mestre e doutora em Estudos Literários (Literatura comparada à Música), Maria Amélia Callado graduou-se em Artes pela própria Unimontes, com habilitação em canto e piano. É também licenciada em Letras Português/Inglês. Atuou no Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernandez (CELF) como professora de canto, piano e teclado. Está vinculada à Universidade desde o ano 2000, como substituta para as aulas de canto e piano. Com o passar dos anos, assumiu outras disciplinas em áreas como a prática de conjunto e regência.

 

CORAL

 

O professor Luciano Cândido, doutor em Ciências da Religião (PUC-SP) e mestre em Execução Musical (UFBA), é quem conduz o bate-papo com a convidada. A entrevista traz relatos interessantes sobre como as atividades do Coral da Unimontes foram readaptadas e até reinventadas durante o período de isolamento social por causa da Pandemia do Novo Coronavírus.

 

“Um novo aprendizado para superar os desafios nos tempos de pandemia. Gosto de associar a tecnologia ao ensino e busco o conhecimento que for necessário, porque trabalhamos com o canto coletivo”, explica a professora, também conhecida como Mel Callado. Segundo ela, “os próprios alunos do Coral ajudam neste sentido, na sugestão de programas e aplicativos, que são compartilhados com todos os participantes”.

 

Com o isolamento social, a estratégia virtual passou a ser o uso da plataforma Google Meet para a interação da regente com os integrantes do Coral Clarice Sarmento. Os ensaios foram separados e dirigidos para cada naipe, com o recurso das videopartituras e do acervo de bibliotecas virtuais de partituras e gravações de áudio.

 

Além disso, o Coral passou a utilizar um aplicativo gratuito para telefones celulares (Coro Virtual), que permite a produção e gravação de vídeos. Um tutorial para o manuseio foi compartilhado entre os integrantes para a adaptação mais rápida. Outro diferencial na avaliação da regente está no intercâmbio com maestros de Minas e do Brasil em grupos de aplicativos e redes sociais

 

LITERATURA

 

No PodCast, a professora Maria Amélia Callado fala, ainda, das experiências como escritora. No ano passado, ela lançou o livro “A Sinfonia do Corpo”, de 155 páginas, pela Editora Appris. A obra faz parte de sua pesquisa de mestrado e, de acordo com a autora, é inspirada no romance “Acenos e Afagos” (2008), do escritor gaúcho João Gilberto Noll (1946-2017), ao compará-lo com a “Paixão Segundo São Mateus” –, do compositor alemão Johann Sebastian Bach. Noll recebeu o prêmio Jabuti, o mais importante da literatura nacional, em seis oportunidades.

 

No doutorado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), o estudo desenvolvido foi outro comparativo: o segundo romance de Noll (“A Fruta do Corpo – 1981) com a cantata “Actus tragicus”, também de Bach. “Comecei a me aprofundar e os orientadores acreditaram em meu projeto. Os romances do João Gilberto Noll são sempre prosas poéticas e isso me instigou a travar esta união entre as artes Música e Literatura, que são minhas duas paixões”, finaliza a autora, que deverá lançar, em breve, outro livro sobre o resultado da pesquisa de titulação em doutora.

 

O professor mestre Igor Coimbra foi o entrevistado no lançamento do projeto. Também coordenador de Extensão Cultural (Pró-Reitoria de Extensão), ele é o idealizador do CUCA. A produção do PodCast envolve a equipe do Curso de Extensão em Música (CEM/Unimontes).

Previous Confiança dos pequenos negócios mineiros em junho é a maior registrada este ano
Next Produtor rural investe em agroindústria sustentável e transforma comunidade no Norte de Minas

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.