Biden discutirá ataque cibernético à JBS com Putin, diz Casa Branca


Autoridades norte-americanas investigam possível envolvimento de uma organização russa no ataque cibernético à JBS. Segundo informações da secretária de imprensa e porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, o assunto será discutido entre o presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente russo, Vladimir Putin.

“Isso certamente será um ponto de discussão. Refugiar entidades criminosas que pretendem prejudicar ou estão prejudicando a estrutura essencial dos EUA não é aceitável, nós não vamos ficar imóveis”, declarou a porta-voz, em entrevista coletiva nesta 4ª feira (2.jun.2021).

A reunião está marcada para 16 de junho. Será o 1º encontro de Biden com Putin depois de assumir a presidência dos EUA.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

Psaki disse ainda que o ataque contra a JBS foi um “lembrete sobre a importância do setor privado fortalecer sua segurança digital” e que as empresas devem “se preparar para essa ameaça”.

Entenda o caso

O ataque à JBS ocorreu no último domingo (30.mai) e afetou servidores da JBS nos EUA e na Austrália. A empresa é uma das principais no segmento de carne no mundo.

Para Psaki, o ocorrido evidencia que a ameaça de ataques cibernéticos “não é um problema só nos Estados Unidos”.São agentes trabalhando para se infiltrar em sistemas ao redor do mundo”, declarou a secretária.

A JBS comunicou o governo norte-americano sobre a possibilidade de o ataque contra a empresa ter partido de uma organização baseada na Rússia. Outra porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, disse que o assunto está sendo tratado com o governo russo e o FBI, que investiga o caso.

“A Casa Branca trata diretamente com o governo russo sobre o assunto e transmite a mensagem que Estados responsáveis não abrigam criminosos de ransomware”, declarou Jean-Pierre. As palavras foram reforçadas por Psaki nesta 4ª (2.jun).

Ransomware é uma forma de “raptar” sistemas. O programa bloqueia funcionalidades e só restabelece o acesso depois de receber um “resgate” em criptomoedas.

Em comunicado ao mercado divulgado na noite desta 3ª feira (1º.jun), a JBS disse que teve “avanços significativos na solução do ataque cibernético” e afirmou não ter conhecimento de nenhuma evidência sobre o comprometimento de dados de clientes, fornecedores ou funcionários. Eis a íntegra (223 KB).

“Hoje, JBS USA e a Pilgrim’s conseguiram enviar produtos para clientes a partir de quase todas as suas unidades. A empresa também continua a progredir na retomada das operações das fábricas nos EUA e na Austrália. Várias fábricas de suínos e aves da empresa operaram hoje e suas instalações de carne bovina no Canadá retomaram a produção”, disse a nota.

A Pilgrim’s  é uma empresa de alimentos norte-americana que pertence à JBS.

“A JBS USA tem recebido forte apoio dos governos dos EUA, Austrália e Canadá, realizando conferências diárias com autoridades num esforço para garantir o fornecimento de alimentos”, afirmou.

Previous Tweet de Elon Musk sobre “Baby Shark” faz ações de produtora dispararem
Next Em nova capa, Economist mostrará estátua do Cristo com máscara de oxigênio

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.