Benny Briolly volta ao Brasil depois de sofrer ameaças de morte


A vereadora de Niterói Benny Briolly (Psol-RJ) falou ao Fantástico, nesse domingo (30.mai.2021), sobre as ameaças de morte que a fizeram sair temporariamente do Brasil.

“Uma delas [das ameaças], que é muito chocante, que marca muito, é um e-mail assinado dizendo que ele ia comprar uma arma 9 mm com o endereço da minha residência, alguns dados pessoais, e iria até a minha casa me matar se eu não renunciasse o mandato para o qual fui eleita [como] a mulher mais votada na cidade”, contou Benny Briolly.

“Senti muito medo. O medo é recorrente, é cotidiano”, disse. “Quem fez a ameaça assinou o e-mail. Segundo investigações da polícia, é um nome falso. E essa pessoa também se identifica como alguém que pertence ao mesmo grupo que mandou executar a minha amiga e companheira de partido Marielle Franco”, afirmou Benny.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

A vereadora procurou a polícia e o Ministério Público Federal Eleitoral solicitou medidas urgentes de segurança. Segundo o Fantástico, a polícia ainda não identificou o autor do e-mail e nenhuma medida protetiva foi implementada. A vereadora continuou participando das sessões on-line de um quarto de hotel em outro país.

Na última 6ª feira (28.mai), Benny voltou ao Brasil, após ser incluída no PPDDH (Programa de Proteção aos Defensores e Defensoras dos Direitos Humanos), e recebeu escolta oficial para chegar em casa, mas a Polícia Militar do Rio de Janeiro se recusou a garantir a segurança dela.

De acordo com o Fantástico, a SEPM (Secretaria de Estado de Polícia Militar) argumentou que precisa de um ofício da Câmara Municipal de Niterói. No entanto, o presidente da Câmara disse à TV Globo que pediu proteção à vereadora por ofício ao batalhão de Niterói ainda em janeiro de 2021.

Na madrugada desta 2ª feira (31.mai), Benny divulgou um comunicado, em suas redes sociais, em que comenta a falta de segurança. “Quando a vereadora já viajava retornando ao Brasil, sua equipe recebeu a notícia de que as medidas de proteção não estariam mais asseguradas. A polícia e a própria Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro se negaram a atender a requisição da equipe técnica do PPDDH”, lê-se na nota.

“O Estado brasileiro está ciente que a vida da parlamentar está em risco. A equipe, juntamente com o conselho deliberativo do PPDDH já informou a necessidade de proteção. No entanto, Polícia Militar segue sem garantir as medidas de segurança.”

 

Benny Briolly divulga comunicado sobre volta ao Brasil sem segurança garantida Reprodução/Twitter

Previous Egito discute com Israel cessar-fogo permanente em Gaza
Next David Carreira é o novo embaixador do Bacalhau da Riberalves

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.