Aplicações do Banco do Nordeste no segmento empresarial crescem 34,8% no primeiro semestre


Montes Claros (MG), 29 de julho de 2020 – O Banco do Nordeste investiu, no primeiro semestre deste ano, R$ 3,2 bilhões no segmento empresarial, que abrange médias e grandes empresas, registrando incremento de 34,8% em relação ao mesmo período de 2019, quando o BNB contratou R$ 2,5 bilhões. Foram 3.884 operações contratadas em toda a área de atuação do Banco, que inclui os nove estados da Região e o norte de Minas Gerais e do Espírito Santo.

 

Desse valor, R$ 3,1 bilhões são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). Especificamente no âmbito do Programa de Infraestrutura (Proinfra), as aplicações somaram R$ 247,9 milhões, elevando para R$ 3,4 bilhões os investimentos no segmento empresarial com recursos do Fundo.

 

Para o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Carneiro Rolim, “o incremento das aplicações no segmento evidencia a capacidade dos empreendedores e também do Banco de superarem as dificuldades de um ano atípico, reforçando a ideia de que, como parceiros, empresas e BNB acreditam na retomada breve da economia no contexto pós-pandemia”.

 

 

Minas Gerais

 

Em Minas Gerais, as aplicações alcançaram R$ 147,9 milhões para o total de 174 operações, dentre as quais destaca-se o crédito R$ 2 milhões para o grupo Lotemoc Lubrificantes, contratado na agência do Banco do Nordeste em Montes Claros, da qual é cliente desde 2013.

 

O financiamento destina-se a capital de giro visando a sustentabilidade do negócio, diante da crescente demanda, uma vez que se trata do principal distribuidor de lubrificantes Petrobrás no norte de Minas e Vale do Jequitinhonha e o terceiro maior do Estado.

 

O Banco do Nordeste conta, ainda, com o FNE Emergencial, que oferece crédito com taxa de juros a 2,5% ao ano, além da redução das taxas de juros para produtos como Giro Especial e FNE Giro, criando possibilidades para as empresas superarem dificuldades ocasionadas pela pandemia.

 

O Banco do Nordeste também disponibiliza para o segmento Empresarial – empresas com faturamento anual de R$ 4,8 milhões até R$ 400 milhões – recursos com fonte de poupança rural que permitem a contratação de operações com taxas competitivas para os produtos Custeio, Comercialização e no âmbito do Programa de Financiamento para Comercialização, Beneficiamento ou Industrialização de Produtos de Origem Agropecuária (Finagro).

Previous QUANDO A TERRA PAROU E A ESPERANÇA NÃO MORREU
Next HUCF registra aumento na geração de lixo Hospitalar

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.