Algar quer suspender leilão de venda da Oi Móvel para Telefônica, TIM e Claro


Em nota apresentada ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a operadora mineira Algar Telecom acusa o consórcio formado pelas rivais Tim ParticipaçõesTelefônica Brasil (Vivo) e Claro Telecom Participações de infringir a lei, ao assinar a compra da Oi Móvel.

A Oi selou a operação por meio de leilão realizado em dezembro, no valor de R$ 16,5 bilhões, para se desfazer do seu braço de telefonia móvel, em mais um passo de restruturação da companhia, que está em recuperação judicial.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no seu e-mail

Para os advogados da Algar, o trio Tim, Vivo e Claro não deveria fechar a transação sem antes obter o aval dos órgãos competentes, e teriam cometido uma infração chamada de “gun jumping”.

A venda do braço móvel ainda precisa do aval da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e do Cade para ser concluída. Mas a Algar pede a suspensão do leilão e a aplicação de multa, no valor de R$ 60 milhões.

Na visão dos advogados da mineira, uma aprovação da compra com ressalvas, alterando os termos do contrato resultante, não resolveria o problema de origem, que é a própria formação do consórcio e seu prejuízo para o processo competitivo do leilão.

Atualmente, tramitam no Cade pelo menos 2 processos contra a aquisição da Oi Móvel por causa do consórcio e a lesão que a manobra “teria causado” e “poderá causar” a operadoras menores.

A Oi é a 4ª maior operadora móvel do país. Originou-se a fusão da Brasil Telecom com a Telemar. Diante de problemas de gestão, pediu recuperação judicial em 2016 e, desde então, tenta equacionar sua situação financeira. Uma das decisões da companhia é a venda do braço móvel.

Eis algumas implicações concorrenciais apontadas pela Algar no leilão:

Reprodução

Reprodução

Previous Pesquisa coloca Huck e Freixo na frente na disputa pelo governo do RJ
Next Arthur Lira cria comissão especial para analisar reforma administrativa

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.