Setembro Dourado:


Mês de conscientização sobre o câncer infantojuvenil

Assim como o outubro é rosa e o novembro é azul, para ações de prevenção do câncer de mama e do câncer de próstata, o SETEMBRO é DOURADO — mês dedicado à conscientização sobre o câncer infantojuvenil.

O Setembro Dourado é uma iniciativa da Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC), entidade que congrega instituições espalhadas por todo o Brasil. As instituições afiliadas, como a Fundação Sara Albuquerque, replicam a campanha em suas regiões.

O objetivo desta campanha é levar conhecimento às famílias de Minas Gerais sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), 80% das crianças e adolescentes com câncer que obteve o diagnóstico precoce e realizou o tratamento em centros especializados, podem ser curados.

Em outras palavras, a cura está mais perto para as crianças e adolescentes que descobrem o câncer logo em seu início. Assim como esteve para o pequeno Heitor, de 3 anos.

Esperança

Heitor é assistido da Fundação Sara desde dezembro de 2018.

Diagnosticado com Histiocitose das Células de Langerhans, Heitor é assistido da Fundação Sara Albuquerque desde dezembro de 2018. Foi no mês de novembro que ele começou a sentir os sintomas do câncer, como lesões na pele, febre e caroços em algumas partes do corpo.

De acordo com a sua mãe, Maria Yolanda, seu primeiro sintoma foram as lesões na pele, mas os médicos acharam que era dermatite. “Fomos a médicos, dermatologistas, fomos até em BH para consultar. Disseram que era dermatite necronica. Tudo que passava nas lesões não resolvia. Tudo que comprava nada resolvia. Ele começou a sentir febre, mas falavam que era por causa do crescimento dos dentes. Depois teve muita assadura que não melhorava, eram feridas mesmo”.

Segundo a oncopediatra da Fundação Sara, a Dra. Sabrina Eleutério, é comum que os sintomas do câncer infantojuvenil sejam confundidos com sintomas de doenças comuns durante a infância. “O que os pais e responsáveis devem ficar alertas, é na persistência das alterações na saúde da criança e do adolescente. Quanto mais cedo o diagnóstico e o tratamento especializado, maiores são as chances de cura”, explica a oncopediatra.

A atenção com a saúde de crianças e adolescentes são diferenciais no resultado do tratamento, e um diferencial que salvou a vida do Heitor. “A médica disse que se eu tivesse levado ele um dia depois ao hospital, que ele já não aguentaria mais, teria entrado em estado de choque. Eu sempre me preocupei com a saúde do Heitor, sempre que ele tinha algo de anormal eu já o levava ao hospital, desde que ele nasceu. Essa minha atenção em tudo dele me fez perceber esses sinais mais rápido e a leva-lo para o hospital imediatamente”, afirma.

Além de ser um fator que aumenta a perspectiva de cura, o diagnóstico precoce também diminui a possibilidade de haver sequelas após o período de tratamento. E é por meio do engajamento da sociedade na luta contra o câncer que a Fundação Sara Albuquerque busca maiores chances de cura para os assistidos. Assim como foi para o pequeno Heitor, que em abril deste ano realizou a sua última quimioterapia, após um ano e quatro meses lutando contra o câncer.

O câncer infantojuvenil é uma doença rara se comparada ao câncer em adultos, no entanto representa a primeira causa de morte, por doença, na faixa etária entre 01 e 19 anos, de acordo com a Dra. Sabrina Eleutério. Por ano, são registrados mais de 8 mil novos casos nessa faixa etária, segundo o Instituto Nacional de Câncer  (INCA).

Assim, o combate ao câncer infantojuvenil começa com a disseminação do conhecimento sobre os principais sinais e sintomas da doença aos pais, responsáveis, cuidadores, professores, médicos, dentistas e todos que assistem às crianças e adolescentes, para alcançar uma maior taxa do diagnóstico precoce e, consequentemente, da cura.

O Heitor realizou a sua última quimioterapia em abril deste ano.

Principais sintomas

São alguns dos principais sintomas e sinais do câncer em crianças e adolescentes: dor nos ossos, febre persistente sem causa aparente, manchas roxas pelo corpo, dor de cabeça persistente por dias, emagrecimento repentino, sangramentos anormais, nódulos em ossos ou no músculo, aumento de glândulas linfáticas que ficam endurecidas e mancha branca no olho.

22 anos de Solidariedade

A Fundação Sara foi instituída em junho de 1998, na cidade de Montes Claros/MG, com o intuito de oferecer amparo a todas as famílias com crianças e adolescentes com câncer da região. O desejo de criar uma entidade filantrópica nasceu no coração de Álvaro e Marlene, pais da pequena Sara, que durante mais de dois anos lutou para vencer a doença, mas infelizmente não resistiu.

Quem acompanhou a história de luta da família se comoveu e se juntou à causa e, assim, a entidade foi ganhando força. A missão de oferecer assistência social ampliou para outros eixos, como o trabalho de diagnóstico precoce, realizado na região, as significativas contribuições aos hospitais onde as crianças e adolescentes se tratam e a criação de uma filial na capital mineira, em 2010. No total, já somam mais de 1.200 famílias amparadas. Para saber mais acesse www.fundacaosara.org.br.

Previous Sebrae oferece programação gratuita sobre gestão financeira para o MEI
Next Fenics online terá treinamento exclusivo para expositores

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.