Evento terá exposição e venda de orquídeas, cactus e suculentas entre os dias 14 e 16 de junho, no Ibituruna Shopping

Créditos fotos: Eugênio José Cardoso

A beleza da exótica orquídea Cattleya walkeriana, considerada por muitos cultivadores, como a mais perfeita entre as espécies, e quase uma unanimidade entre os orquidófilos, será o destaque do 1º Salão da Cattleya walkeriana, que acontecerá entre os dias 14 e 16 de junho, no Ibituruna Shopping,

O Salão terá, ainda, a exposição e venda de outras espécies de orquídeas, cactus e suculentas, com preços populares, e está sendo organizado pela Sociedade Orquidófila Norte Mineira (SONM).

A floricultura, entendida como o conjunto de atividades produtivas e comerciais relacionadas ao mercado de espécies vegetais cultivadas com finalidades ornamentais, é um dos mais dinâmicos e promissores segmentos da agricultura brasileira.

O orquidófilo Fábio Campos Borborema, da comissão organizadora do 1º Salão da Cattleya walkeriana, destaca como uma oportunidade para os amantes de orquídeas, além de trocar experiências, mostrar as variações de cruzamentos da espécie, oportunizar a venda de mudas e plantas para um público cada vez mais exigente e de ótimo bom gosto por plantas ornamentais. “Este Salão será uma oportunidade para que os cultivadores e orquidófilos exponham suas plantas, comercializem os estoques e se interajam entre si, com troca de experiências sobre cultivo, adubação, entre outras coisas e muito mais”, destacou Borborema.

O nome walkeriana é uma homenagem a Edward Walker, colega e assistente do médico e botânico George Gardner, que realizou uma expedição pelo Brasil que durou cinco anos (1835/1841). A nova espécie foi encontrada próximo ao rio São Francisco, em Minas Gerais, em 1839.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor), a região Sudeste do Brasil concentra a maior parcela dos produtores de vendas de flores, com 53,3% do total, seguido da região Sul e Nordeste, que juntas são responsáveis por cerca de 40%, colocando o Brasil entre os 15 maiores do mundo.

O país conta, atualmente, com 8.250 mil produtores de flores e plantas, segundo a Ibraflor. Juntos, eles cultivam mais de 350 espécies e mais de 3.5 mil variedades.

O mercado de flores, de acordo com a Ibraflor, é uma importante engrenagem na economia brasileira, responsável por 199.100 empregos diretos, dos quais 78.700 (39,53%) relativos à produção, 8.400 (4,2%) à distribuição, 105.500 (53%) no varejo e 6.500 (3,25%) em outras funções, em maior parte como apoio.

Ainda de acordo com a Ibraflor, a floricultura comercial brasileira cresceu nos últimos anos, com faturamento de R$ 7,9 bi em 2018 e crescimento de 9%. Em 2017, este número foi de 7,3 bi e também crescimento de 9%. Em 2016, o crescimento do setor foi de 8% e faturamento de 6,7 bi.

————

Jornalista Wesley Gonçalves

Assessoria e Comunicação
JPMG/8874