O capelão da Santa Casa, Padre Ildomar Pereira, celebrou na tarde de ontem, 25, Missa em homenagem a irmã Veerle pelos 30 dias de falecimento. A cerimônia eucarística contou com a presença de colaboradores, corpo clínico, pacientes e direção do hospital. Na oportunidade, foi entregue às irmãs da Congregação Sagrado Coração de Maria, uma placa em agradecimento pelos 110 anos de serviços prestados para a população norte-mineira, dentro da Santa Casa. “Foi um momento muito especial. A Irmã Beata iniciou esse ciclo em 1909, e o encerramento se deu com a partida da Irmã Veerle em 2019. Durante todo esse período, fomos abençoados com tanta doação e dedicação com o próximo”, disse o superintendente do hospital, Maurício Sérgio.

Joana Maria Juliana Wandekeybus nasceu em 26 de novembro de 1937, na cidade de Esseen, Bélgica. Aos 21 anos ingressou na Congregação do Sagrado Coração de Maria. Após dois anos de noviciado, estudou enfermagem. Durante cinco anos trabalhou como enfermeira em um hospital da Bélgica. Em 9 de fevereiro de 1968, quando chegou ao Brasil, veio para Montes Claros trabalhar na Santa Casa, onde atuou por 49 anos. Adaptou-se rápido ao clima e à cidade, ainda pequena, na época, pois se sentia realizada por fazer o que mais gostava: cuidar dos mais necessitados. Irmã Veerle trabalhou com as outras irmãs e os médicos pioneiros do corpo clínico, ensinando a profissão de enfermeira à jovens que desejavam trabalhar no hospital. Ao longo dos 51 anos de dedicação ao hospital, sempre contou com o apoio de familiares e amigos da Bélgica e Holanda, que enviavam roupas e materiais médico-hospitalares para auxiliar o trabalho de cuidar dos doentes.

 

Após passar por todas as alas hospitalares, inclusive a obstetrícia, Irmã Veerle dedicou 30 anos ao trabalho na pediatria, que ficou conhecida como ala da irmã. Além da parte assistencial, Irmã Veerle cuidava ainda da espiritualidade dos pacientes como voluntária da Pastoral da Saúde. Irmã Veerle fez parte da Congregação do Sagrado Coração de Maria durante 57 anos dos quais 50 anos de sua vida no Brasil, dedicou-se integralmente, à Santa Casa. Servindo de forma incondicional aos pacientes, sobretudo os mais carentes, cumprindo a verdadeira missão de fé, amor ao próximo e caridade.

A Santa Casa de Montes Claros se orgulha por ter tido uma alma caridosa e tão generosa como a Irmã Veerle em seus corredores e que contribuiu tão grandiosamente para a história dessa instituição. Rendemos homenagens a ela que fez deste hospital parte da sua história e agora é parte da história do maior hospital do Norte de Minas Gerais.