O inverno provoca um alerta aos pais e responsáveis para reforçar os cuidados com as doenças respiratórias, principalmente entre crianças e idosos. Com as temperaturas mais amenas nesta época do ano, os maiores níveis de poluentes no ar costumam irritar as vias respiratórias com mais freqüência. Somente no ano anterior, foram registrados 657 casos de internação referentes à pacientes com doenças do aparelho respiratório no Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF). Os dados são do setor de Arquivamento e Estatístico.

Para este ano, o alerta prevalece considerando o histórico do ano anterior. Em 2018, 66,3% dos atendimentos do Hospital da Unimontes por problemas respiratórios (436 casos) ocorreram entre março e setembro, que compreende as estações de outono e inverno – as mais frias em Montes Claros e na região do Norte de Minas.

A médica geriatra Luciana Colares Maia, do Centro “Mais Vida” de Referência em Atenção à Saúde do Idoso “Eny Faria de Oliveira” (Crasi), explica que a prevenção é sempre o melhor caminho. Ela ressalta que as crianças e idosos são mais propensos às doenças do trato respiratório por alguns fatores como, por exemplo, grau de dependência e questões imunológicas.

Numa análise da evolução das internações no Hospital Universitário causadas por doenças do aparelho respiratório chega-se aos seguintes dados: de janeiro a junho de 2018, ocorreram 359 atendimentos internos relativos à doenças respiratórias. No mesmo período do ano 2019, foram registrados 375 atendimentos. O crescimento é de 4,5% no número de casos.

 

“As crianças e os idosos são os mais afetados nesta época do ano, justamente por causa da vulnerabilidade e da predisposição. É preciso sempre manter a prevenção com vacinas, tomar cuidados com alimentação balanceada, mantê-los bem agasalhado e em locais com boa ventilação e longe de multidões”, acrescenta a médica.

 

E acrescenta: “em casa, cuidados devem ser tomados como deixá-la sempre limpa, evitar objetos que acumulem poeira e ácaros, cobertas e cortinas sempre bem limpas, exposição em ambientes com fumantes e todas as circunstâncias que aumentem os fatores e situações irritantes do sistema respiratório devem ser evitadas”, destacou a geriatra.

 

Em entrevista a agencia Brasil, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, lembrou que problemas na qualidade do ar são responsáveis por uma fatia considerável de recursos gastos no atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de pessoas com problemas respiratórios. Segundo o ministro, o gasto anual com internações ligadas a problemas respiratórios fica em torno de R$ 14 bilhões.

 

Ainda de acordo com a agência Brasil, o Ministério da Saúde informou que até 11 de maio deste ano, foram registrados 807 casos de síndrome respiratória aguda grave por influenza em todo o país, com 144 mortes. O subtipo predominante de gripe no país é o vírus Influenza A (H1N1) pdm09, com 407 casos e 86 óbitos.

 

Dicas úteis para fugir das doenças respiratórias no inverno

 

  • Mantenha o organismo hidratado;
  • Evite ar condicionado;
  • Umedeça o ambiente com toalhas;
  • Se possível, deixe um balde ou bacia com água no quarto;
  • Evite fumar ou se expor a ambientes com muita poeira ou fumaça;
  • Mantenha o ambiente arejado, limpo e evite locais fechados;
  • Evite o contato com pessoas gripadas ou com resfriados, pois essas doenças são adquiridas pelo ar;
  • Mantenha a respiração sempre pelo nariz e não pela boca, pois as narinas têm a função de filtrar o ar e aquecê-lo;
  • A vacinação contra a gripe reduz a hospitalização e a internação por pneumonias;
  • Lençóis, edredons e roupas devem ser expostos ao sol e lavados sempre que necessário
  • As pessoas que já possuem problemas respiratórios como bronquite, asma e sinusite devem evitar o contato com bichos de pelúcia, tapetes e produtos que possuem pêlos;
  • A alimentação deve ser balanceada com sopas e caldos ricos em verduras e legumes;

.        As frutas são essenciais, principalmente aquelas que contêm vitamina C, como a laranja. Elas ajudam a prevenir gripes e resfriados.