Mudança de paradigma na empresa é essencial para obter maior produtividade

As empresas estão em constante movimentação para manter o mercado aquecido e o consumidor ativo. Em tempo de recessão econômica, todas as ferramentas para segurar o tripé: público, produto e vendas são válidas. Mas o item principal nas organizações ainda são as pessoas. E a mudança de paradigma em relação aos processos é o desafio nas relações organizacionais. Somente com uma boa gestão de pessoas a empresa conseguirá extrair bons resultados de sua equipe.

O mundo moderno exige mais e mais dos profissionais. Por outro lado, a palavra mudança gera, normalmente, um sentimento de instabilidade e insegurança nas pessoas. A consultora de Gestão de Pessoas, Priscilla Moreira, afirma que nem sempre a mudança tem que ser ruim. “Se pensarmos bem, normalmente, não o é! Sempre que há turbulências na vida, saímos do outro lado como criaturas melhores – na grande maioria dos casos pelo menos… Bem, enquanto Consultores, nosso papel é focar nesse lado positivo e suavizar os processos de mudança, apoiando empresas, empresários e demais envolvidos a alcançarem o objetivo traçado e agregar valor à essa caminhada para o sucesso”.

Para enfrentar o mercado cada vez mais acirrado, é preciso implementar mudanças, adequar-se às expectativas de uma geração de consumo muito peculiar, especialmente, com a influência da internet. A concorrência deixou o bairro e se expandiu para o mundo. “Porém, com a participação das pessoas, uma vez que as organizações existem através delas, as empresas podem alcançar seu estado desejado. Para isso, precisarão entender como funcionam as inter-relações entre os indivíduos, bem como suas necessidades e aspirações”, explica.

No olho do furacão

Entre os anos de 2013 a 2016, 341,6 mil empresas foram fechadas no Brasil, de acordo com dados do IBGE, sendo que 76,8% eram voltadas ao comércio. Fechar mais empresas que abrir é um retrocesso para o desenvolvimento do país. Em 2017 e 2018, a economia voltou a reagir e as empresas que se reinventaram com criatividade e gestão nos negócios conseguiram se sobressair.

“Neste momento de readequação de processos, a equipe anseia por informação e ela precisa ser clara, objetiva e fiel à realidade!”, alerta Priscilla Moreira. “A tentativa de encobrir fatos como demissões, cortes de benefícios, etc. só resultará em perda de credibilidade. A comunicação é fator decisivo na dissolução de dúvidas, mal-entendidos, rumores, boatos, dentre outros processos nocivos à implantação de qualquer mudança. Somente assim é possível construir uma relação de credibilidade e engajamento para o processo de mudança”.

Ela salienta que “algumas pessoas resistem à mudança porque têm medo da demissão, porque acham que seu trabalho se tornará desnecessário, porque estão acostumadas a fazer as coisas, porque se sentem ameaçadas, etc. Buscar saber quais são os gaps de habilidades ou competências que necessitam ser supridos, com o objetivo de apoiar as pessoas alvo no processo de mudança é importante para banir a resistência e ganhar apoio no engajamento da equipe. As pessoas não vão aprender com rapidez e eficiência sozinhas, elas precisam ser capacitadas!”.

Reconhecimento

Em qualquer organização, de todos os portes, seja microempresa ou uma multinacional, é necessário elaborar um plano de recompensas específico para o processo de mudança. “As chances de sucesso serão altamente potencializadas, afinal nós seres humanos temos em nossa essência a necessidade básica de sermos reconhecidos e valorizados. Avaliar os comportamentos adotados, metas alcançadas, o aprendizado adquirido e aplicado, deverão ser recompensados para encorajar alta performance e comprometimento”, pontua a consultora.

Priscilla Moreira conclui que “os líderes têm papel essencial na manutenção e revaloração de uma Cultura Organizacional, tanto quanto em um processo de mudanças. Por isso, e para ganhar estímulos positivos, é necessário avaliar a liderança, dispensar todos aqueles que não se adequam e manter, ou contratar se for o caso, indivíduos eficientes e respeitados por seus subordinados.  Afinal, como diz o povo “os exemplos arrastam!”